Notícia

Celta tem o maior valor de revenda: perde apenas 9,7% em um ano

 

Apesar da evolução do mercado brasileiro, com a procura de modelos mais caros e equipados e um catálogo de ofertas que passa das mil opções, o carro ainda é visto por uma parcela de consumidores como um "dinheiro em caixa" e não como um produto de consumo.

Ao contrário, muitas vezes os R$ 30 mil ou R$ 40 mil "investidos" num automóvel é a reserva financeira da família, valor que pode estar disponível rapidamente graças à alta liquidez do produto.

É por isso que o valor de revenda é um dos principais atributos levados em conta pelos consumidores na hora da compra.

O carro brasileiro tem uma depreciação média de 15,3%, mas dependendo do tipo de carro essa depreciação pode ser bem diferente.

O último estudo AutoInforme/Molicar que avaliou a depreciação do carro após um ano de uso, feito no mês passado, apontou o Celta como campeão do valor de revenda. O carro da GM perde apenas 9,7% do seu preço depois de doze meses de uso. As versões melhor posicionadas do Celta são a Life 1.0 e a Spirit 1.0. Ambas depreciam apenas 9,7% e são as únicas que perdem menos de 10% do preço depois de um ano.

Logo após o Celta aparece o Mille Economy, da Fiat, com 10,1% de depreciação. Os dois dividem as dez primeiras posições no ranking da depreciação: o Mille tem seis versões e o Celta quatro. Mas o carro da GM tem a seu favor o fato de figurar no topo da lista em todos os cinco levantamentos feitos pela AutoInforme/Molicar este ano.

A Fiat domina a relação dos 50 menos depreciados, com quase todos os seus modelos na lista. Os carros de entrada da Volks também estão bem posicionados.

Além deles, destaque para o Ford EcoSport XLT Freestyle e o Honda Fit 1.4 LX-AT. Ambos têm ótimo valor de revenda: perdem apenas 12,2% do preço após um ano de uso.

Outro destaque é o utilitário esportivo Captiva Sport 2.4. É o carro grande com o maior valor de revenda, perdendo apenas 12,5% do preço depois de doze meses. Por outro lado, a GM tem um dos carros mais depreciados, o Omega, que perde 25% do seu valor depois de um ano. O sedã está na frente apenas do Kia Carnival, cuja depreciação é de 25,5%.

Tour virtual 360°